Notícias

05/06/2020 - CEHM- RS divulga resultado de pesquisa realizada com médicos do RS



Com objetivo de identificar o impacto da pandemia na atuação profissional médica, a Comissão Estadual de Honorários Médicos do RS (composta pela AMRIGS, pelo CREMERS e SIMERS) realizou uma pesquisa com 1.480 médicos do estado que responderam um questionário online. Os dados foram coletados entre os dias 13 e 15 de maio.

Quanto ao atendimento por telemedicina, 942 ainda não realizam teleconuslta. No entanto, 40% informam que estão dispostos a atender neste novo formato, 26% informam que não, 17% ainda não sabem e 16% afirmam que a sua especialidade não permite esse tipo de atendimento. Quando questionado sobre o quanto a pandemia impactou no trabalho, em uma escala de 0 a 100, a média identificada foi de 60 entre os entrevistados.

Sobre o retorno às atividades, o número médio de respostas entre os que optam para permanência ou retorno à rotina é de 80 numa escala de 0 a 100.

A maior parte dos médicos entrevistados (80%) acredita que a principal carência do sistema de saúde do país encontra-se na própria estrutura do sistema (hospitais, leitos de UTI, exames complementares, etc).

Sobre onde ocorre a maior parte da atuação profissional, quase 50% dos médicos atuam em consultório e pouco mais de 40% atuam em hospitais ou em postos de saúde. Quanto à forma de atuação/remuneração, menos de 50% atuam na iniciativa privada, 18% prestam serviço terceirizado como pessoa jurídica e 14% a contratação segue a CLT (Consolidação das Leis de Trabalho).

Clínica Médica (quase 23%) foi a especialidade mais representada neste levantamento, seguida pela Cirurgia, Anestesiologia, Ginecologia/Obstetrícia, Pediatria e Psiquiatria.

A partir deste levantamento, a Comissão segue realizando atividades que possam colaborar para o pleno exercício da medicina.

Fonte: Ascom AMRIGS 



Todas Notícias