Notícias

10/11/2020 - Durante a 73ª Assembleia Mundial da Saúde, países devem adotar resolução para fortalecer a preparação para emergências de saúde



 

Em um ano que viu mais de 1,2 milhão de vidas perdidas em uma pandemia mortal de coronavírus, os 194 Estados Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS) devem adotar uma resolução para fortalecer a preparação para emergências de saúde durante a 73ª Assembleia Mundial da Saúde.

O rascunho da resolução renova o compromisso de uma melhor preparação para as emergências de saúde como a COVID-19 por meio do cumprimento “total” do Regulamento Sanitário Internacional (2005). 

O documento chama os Estados Membros a “dedicarem investimentos domésticos, gastos recorrentes e financiamento público à preparação para emergências de saúde” e “melhorar o governo e os processos de tomada de decisão e aumentar a capacidade institucional e a infraestrutura para a saúde pública”.

Também chama a comunidade global de saúde a garantir que todos os países estejam melhor equipados para detectar e responder aos casos de COVID-19 e outras doenças infecciosas.

Nos últimos dois dias, o Comitê A – que lida predominantemente com questões de programa e orçamento – revisou as conclusões dos relatórios do diretor-geral sobre o trabalho da OMS em emergências de saúde (A73/11) e sobre a implementação do Regulamento Sanitário Internacional (A73/14).

Houve intervenções da presidente do Comitê Consultivo Independente do Programa de Emergências da OMS e dos copresidentes do Painel Independente para Preparação e Resposta à Pandemia (IPPR), estabelecido pelo diretor-geral da OMS de acordo com a resolução WHA73.1 (2020) da Assembleia da Saúde.

Nesta terça-feira (10), o Comitê terminou com uma recomendação à Assembleia Mundial da Saúde para adotar a resolução proposta.

Enquanto isso, o Comitê B - que lida predominantemente com questões administrativas, financeiras e jurídicas - recomendou que a Assembleia adote dois projetos de decisão sobre endossar a estratégia global sobre saúde digital e aceitar o relatório do auditor externo, bem como um projeto de resolução sobre a revisão do processo para eleger o(a) diretor(a)-geral da OMS em relação ao período de transição entre a eleição dos futuros diretores-gerais e sua posse.

Todas as resoluções e decisões recomendadas pelos Comitês para adoção serão incluídas em seus relatórios ao plenário e apreciadas na sexta-feira (13).

Fonte: OPAS/OMS

Imagem: reprodução OPAS/OMS



Todas Notícias