Notícias

09/09/2021 - Vantagens e desafios do SUS são abordados em evento online promovido pela AMRIGS



Atividade foi realizada na noite desta quarta-feira (08/09) e destacou mudanças no SUS ao longo da história

Olhar para as necessidades e não só para as demandas na área da saúde é o grande diferencial da atualidade no Sistema Único de Saúde (SUS) que completa, este ano, 33 anos de existência. O tema foi tratado na edição de setembro do Ciclo de Palestras AMRIGS. O evento teve como objetivo apresentar as ferramentas para que usuários possam aproveitar o que o SUS oferece de melhor.

"Precisamos sempre aprimorar e proteger este patrimônio que é o Sistema Único de Saúde que tem sido tão importante no combate à pandemia, mas que sempre foi fundamental para promoção da saúde em nossa sociedade", afirmou o presidente da Associação Gaúcha de Medicina de Família e Comunidade e mestre em epidemiologia pela UFRGS, João Henrique Kolling, que fez a moderação do encontro.

Segundo o médico de Família e Comunidade e mestre e doutor em Epidemiologia pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Luís Antônio Benvegnú, as mudanças são lentas, porém sólidas e o que se espera é que, de fato, tragam os benefícios esperados.

“Uma das mudanças mais importantes foi a universalização do SUS. Havia uma política anteriormente voltada para o assistencialismo, ou seja, a cura das doenças. Hoje, ela é muito mais em relação à prevenção das doenças Além disso, antes era direcionada apenas para quem fazia contribuição e não para toda a população”, disse.

Outro aspecto lembrado pelo palestrante é a descentralização.

“Os municípios passaram a receber os pacientes, diante dessa nova realidade de aproximar a Medicina e os cuidados com a saúde da população. Nesse sentido, o médico de Família assumiu um papel importante. É um tipo de atendimento no qual o médico não dá alta para o paciente e sim permanece fazendo um acompanhamento de forma contínua olhando fatores de risco ao invés de receber o paciente já doente”, completou.
A segunda parte do encontro recebeu Alberto Kich, morador do Bairro Jardim Itu que atua como conselheiro do posto de saúde do local desde 2015 e também no Fórum do Hospital Conceição desde 2018.

“Quando se fala do SUS, o aspecto da receita é sempre negligenciado, falando-se apenas em despesas que o sistema provoca. A grande fonte de receita do SUS é o trabalhador que não morre e volta a trabalhar, por exemplo. Ou ainda, uma pessoa que volta ao trabalho de forma rápida e passa a gerar uma gama de impostos e serviços para a sociedade. Por isso, me sinto muito mal quando as pessoas falam só nos gastos do SUS”, disse.

A realização do evento foi da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), em parceria com a Associação Gaúcha de Medicina de Família e Comunidade. O Ciclo de Palestras AMRIGS é um projeto que promove atividades científicas sobre saúde em seus mais amplos aspectos, em parceria com as Sociedades de Especialidade, direcionadas para a comunidade em geral.

Fonte: Marcelo Matusiak
Foto: Reprodução de imagem 



Todas Notícias