Saúde monitora casos de meningite em Cachoeirinha

Categoria:

Compartilhar:

publicada em

Saúde monitora casos de meningite em Cachoeirinha

A Secretaria Estadual de Saúde (SES/RS) acompanha no momento a ocorrência de casos de Doença Meningocócica no município de Cachoeirinha. Os casos estão concentrados em uma escola municipal e no bairro Jardim Betânia, onde foram registrados dois óbitos de crianças, um confirmado para meningite bacteriana do tipo C e outro ainda como suspeita. Há ainda um terceiro caso de outra criança – moradora do bairro mas que não estuda na mesma escola – internada com o mesmo diagnóstico confirmado. A comunidade já está sendo assistida com tratamentos preventivos e uma vacinação a grupos específicos está sendo elaborada pelo Município, Secretaria Estadual da Saúde e Ministério da Saúde, a ser divulgada nos próximos dias.
De acordo com as informações do CEVS, faleceu nesta terça-feira, um aluno de  8 anos  da Escola Municipal de Ensino Fundamental Alzira Silveira Araújo, com diagnóstico de meningite bacteriana do tipo C. Na última sexta-feira (03), outra estudante, com 12 anos, veio à óbito com suspeita de meningite. O exame está em processamento fora do Estado, por se tratar de uma análise em tecidos viscerais.
Uma menina de 12 anos – que mora no mesmo bairro mas não estuda na mesma escola – permanece internada em Porto Alegre, e já teve o diagnóstico confirmado de meningite bacteriana do tipo C.
As ações começaram a ser desencadeadas com o primeiro óbito, quando os contatos da primeira vítima já começaram a receber quimioprofilaxia, que é o tratamento preventivo com o uso de antibiótico bactericida em familiares e estudantes da escola. Conforme a vigilância em saúde avança nas investigações, mais grupos de contatos vão sendo acrescidos a esse trabalho. As ocorrências também fizeram com que o caso fosse discutido com o Ministério da Saúde, com quem o Município e o Estado passaram a elaborar um plano de vacinação na comunidade. Neste momento, as três esferas realizam o planejamento para o corte geográfico e a faixa etária a ser atendida, de acordo com os protocolos previstos para esses casos.
 
 
Meningite
 
A meningite é um processo inflamatório das meninges, membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por diversos agentes infecciosos como bactérias, vírus, fungos, e outros.
Os principais sinais e sintomas são: febre alta que começa abruptamente, dor de cabeça intensa e contínua, vômito, náuseas, rigidez de nuca e manchas vermelhas na pele (petéquias). Em crianças menores de um ano de idade os sintomas referidos acima podem não ser tão evidentes, devendo-se atentar para a presença de moleira tensa ou elevada, irritabilidade, inquietação com choro agudo e persistente e rigidez corporal com ou sem convulsões.
Em geral, a transmissão é de pessoa a pessoa, através das vias respiratórias, por gotículas e secreções do nariz e da garganta. Após a avaliação médica e análise preliminar de amostras clínicas do paciente, este ficará internado e receberá tratamento de acordo com o agente etiológico. No caso de meningite bacteriana, o tratamento será realizado com antibióticos específicos.
A principal medida de controle a ser desencadeada nas Doenças Meningocócicas (DM) para reduzir o contágio e, consequentemente, o número de casos, é a notificação e investigação oportuna da suspeita para a pronta administração da quimioprofilaxia aos contatos próximos do caso suspeito.
 
Outras medidas importantes são:
Higienização das mãos;
Higienização do ambiente;
Ventilação do ambiente;
Cuidado com os alimentos.
 
Vacinas estão disponíveis para prevenção das principais causas de meningite bacteriana. As vacinas disponíveis no calendário de vacinação da criança do Programa Nacional de Imunização são:
 
– Vacina meningocócica conjugada sorogrupo C:
Protege contra a Doença Meningocócica causada pelo sorogrupo C
Doses aos 3 e 5 meses de idade, com reforço aos 15 meses
 
– Vacina pneumocócica 10-valente (conjugada):
Protege contra as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae, incluindo meningite.
Doses aos 2, 4 e 6 meses de idade, com reforço aos 12 meses
 
– Pentavalente:
Protege contra as doenças invasivas causadas pelo Haemophilus influenzae sorotipo b, como meningite, e também contra a difteria, tétano, coqueluche e hepatite B.
Doses aos 2, 4 e 6 meses, com reforços aos 15 meses e 4 anos
 
– Vacina BCG:
Protege contra as formas graves da tuberculose e nos casos de meningite.
Dose única ao nascer

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outras notícias

plugins premium WordPress