AMRIGS - Associação Médica do Rio Grande do Sul
    
 
Área do Associado



 


 

 
   
 

Reconhecimento internacional mostra importância de pesquisas de longo prazo na medicina

Resultados do trabalho, elaborado pelo professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) César Victora, sobre benefícios da amamentação prolongada tornaram-se referência nacional e internacional

A pesquisa, elaborada pelo professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Cesar Victora, recebeu em março desse ano a distinção na mais importante premiação científica do Canadá, o Prêmio Gairdner. Ganhadores desse título são considerados como potenciais candidatos à indicação para o Prêmio Nobel. 

- O foco atual das pesquisas mostra os ganhos a longo prazo da amamentação para o desenvolvimento infantil. Observamos os efeitos que essa característica exerce não só para saúde física, mas também para saúde mental e para o desenvolvimento intelectual do indivíduo – explica Cesar Victora.

A iniciativa foi saudada com honra pela Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul que trabalha pela conscientização permanente da importância do aleitamento materno. Victora recebeu o prêmio na categoria Saúde Global, concedido àqueles que, com seus achados em pesquisas, contribuem de forma positiva para a saúde de países em desenvolvimento. O título foi concedido ao médico gaúcho em reconhecimento ao conjunto de estudos sobre amamentação e nutrição materno-infantil. O pesquisador brasileiro liderou uma pesquisa, iniciada na década de 1980 e que tornou-se referência para normas internacionais. A partir dos resultados, foi adotada a sugestão de aleitamento exclusivamente materno até os dois anos de idade pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde no Brasil.

- São resultados que só podem ser obtidos em estudos de longa duração. Existem ainda achados que mostram que o aleitamento materno prolongado ajuda a desenvolver a inteligência da criança com uma série de substâncias que colaboram na formação do cérebro e ajudam a reduzir o risco do desenvolvimento da obesidade infantil – completa.

O acompanhamento é feito em cima de gerações diferentes nascidas a partir da década de 80 totalizando vinte mil pessoas analisadas. 

Fonte: Ascom Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul
Fotos:
Data: 26/07/17      Atualizada em: 26/07/17
Tags: pediatria , amamentação , aleitamento materno ,









 
ARTIGOS

Sentir-se Médico
Dr. José J. Camargo
A fragilidade da democracia da República do Brasil
Dr. Albino Julio Sciesleski
Conscientização e prevenção sobre a Doença Falciforme
Dr. Alfredo Floro Cantalice Neto
Ver Todas
JORNAL AMRIGS

Ver Todas
REVISTA DA AMRIGS

Ver Todas
AMRIGS NA MIDIA

Ver Todas