Novas diretrizes para a Rede Global de Bancos de Leite Humano

Novas diretrizes para a Rede Global de Bancos de Leite Humano

Categoria:

Compartilhar:

Novas diretrizes para a Rede Global de Bancos de Leite Humano

Enquanto uma nova agenda global era adotada pelos 193 Estados-membros das Nações Unidas em Nova York, na Cúpula da ONU sobre o Desenvolvimento Sustentável 2015, em setembro, mais de cem integrantes da Rede de Bancos de Leite Humano finalizavam, em Brasília, o II Fórum ABC/Fiocruz/Ministério da Saúde de Cooperação Internacional em Bancos de Leite Humano, no qual definiram diretrizes para afinar as metas da Rede à nova Agenda Global de Desenvolvimento.
O encontro reuniu participantes de 22 países para trocar experiências e práticas, avaliar os avanços obtidos em cada país desde a última reunião, em 2010, além de decidir conjuntamente os rumos da Rede para os próximos cinco anos. Para tanto, os representantes dos países que compõem a Rede, além do Ministério da Saúde do Brasil, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), a Organização Pan-americana da Saúde (Opas) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) assinaram a Carta de Brasília 2015, durante o ato solene na quarta-feira (23), que ainda reuniu 32 embaixadas e 16 embaixadores no Memorial JK.
Entre as diretrizes acordadas estão a mudança de nomenclatura da Rede Latino-ibero-afro-americana de Bancos de Leite Humano para Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH); a mobilização para oficializar a adoção do dia 19 de maio como Dia Mundial de Doação de Leite Humano, na Organização Mundial da Saúde; além do compromisso de promover condições que ampliem o acesso ao leite humano, a fim de reduzir as mortes evitáveis de recém-nascidos e prevenir a ocorrência de doenças crônicas não transmissíveis, pontos inclusos nas metas do Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).
Reconhecimento
Além da Carta, foram entregues o Prêmio Jovem Pesquisador da rBLH, os certificados de Credenciamento dos Bancos de Leite Humano do Brasil no Programa Ibero-americano de Bancos de Leite Humano ” IberBLH e a certificação internacional de Consultores da rBLH para o período de 2015 a 2020 e homenagens aos pioneiros da Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano e aos países que se destacaram nos últimos anos. A Opas também homenageou a Fiocruz e o Ministério do Saúde pelo apoio à rBLH, enquanto o Ministério da Saúde reconheceu os serviços prestados pelo coordenador da Rede, João Aprigio Guerra de Almeida, na construção e implementação da Rede Global de Bancos de Leite Humano.
O evento também marcou os 30 anos de políticas públicas voltadas para o aleitamento materno e doação de leite humano, iniciado com o lançamento da Política Nacional de Aleitamento Materno (PNAM), em 1985. “Estas três décadas foram fundamentais para que o Brasil pudesse alcançar, com antecedência, os objetivos do desenvolvimento do milênio referentes à redução da mortalidade infantil. De 1992 para cá, tivemos uma redução de 77% na mortalidade infantil”, afirmou o ministro da saúde Arthur Chioro, durante a solenidade, que destacou o papel fundamental na Rede neste processo. “É um dos investimentos mais inteligentes e eficientes que os sistemas nacionais de saúde e sociedades podem oferecer às crianças”.
O diretor da ABC, embaixador João Almino, traçou um histórico da parceria entre a instituição e o Ministério da Saúde para tornar a cooperação internacional em Bancos de Leite Humano um exemplo de êxito. “A cooperação internacional em Bancos de Leite Humano é orgulho de todos nós brasileiros, pois apesar de ser uma construção originalmente brasileira, pertence a todos que fazem parte desta prática”, destacou.
Ao relembrar a trajetória da Rede Global Bancos de Leite Humano, o coordenador da rBLH João Aprigio Almeida afirmou que os princípios que regem a cooperação internacional nasceram na construção da rede brasileira. “A Rede só faz com cada um dos países o que a rede faz com o Brasil. É importante notar que não estamos falando de um país, mas de um oceano [de realidades regionais]”, destacou ele, lembrando que a cooperação horizontal, praticada no âmbito na rBLH, preza por transferir princípios a serem adaptados de acordo com a realidade de cada país, e não propriamente a tecnologia.
“É uma verdadeira rede de apoio mútuo, de amor, e vínculo afetivo, de paz. Estamos aqui falando de uma sociedade mais respeitosa e amorosa, para a criação de um Planeta melhor”, destacou a madrinha da rBLH, a atriz Maria Paula.
Nova Agenda Global
O cenário global no qual a Rede de Bancos de Leite Humano se insere foi desenhado com a palestra do diretor do Centro de Relações Internacionais em Saúde (Cris/Fiocruz), Paulo Buss, sobre os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), sucessor dos Objetivos do Milênio (ODM), na Agenda de Desenvolvimento 2030. Buss explicou o contexto do desafio com o qual a civilização se depara: enquanto vivemos uma concentração de renda inédita, os Estados assumem as dívidas privadas ” socializando os prejuízos, embora os lucros continuem privados ” e reduzem os investimentos públicos e orçamentos sociais, inclusive da saúde, aprofundando as desigualdades existentes.
“Isso é sério e está começando a acontecer no Brasil este ano. Não pense que o [recém-nascido de] baixo peso e a prematuridade não estão relacionados com isso. Este é o fundo sobre o qual cresce a pobreza, o desemprego, o desnutrido. O baixo peso não é uma questão iminentemente biológica (também é), mas é ainda uma questão social”, declarou, explicando que os orçamentos da Saúde e da Educação são mitigadores da crise econômica e, assim, não deveriam ser reduzidos.
O diretor do Cris demonstrou que dentre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável a Rede se encaixa em pelo menos três:  erradicação da fome; saúde de qualidade; parceria pelas metas. Segundo ele, a cooperação exercida pela rBLH pode ir além do que a transferência de princípios em uma área e ser realmente estruturante para os países parceiros, sendo utilizada no fortalecimento do sistema de saúde como um todo. “Nós devemos utilizar a experiência na cooperação internacional do banco de leite humano para fortalecer o próprio sistema”.   

Confira outras notícias

thumb site

AMRIGS celebra formatura de novos especialistas do Hospital São Lucas da PUCRS

Em um momento repleto de emoções e conquistas, a Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS) participou da cerimônia de formatura dos residentes do Hospital São Lucas da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), realizada no Salão de Atos no dia 22 de fevereiro. O pres...
thumb site

Hospital Ernesto Dornelles forma 29 residentes em 12 especialidades médicas

A noite de quarta-feira, dia 21 de fevereiro, foi marcada pela formatura de mais uma turma do Programa de Residência Médica do Hospital Ernesto Dornelles, parceiro da Prova AMB/AMRIGS, aplicada anualmente. A cerimônia, que aconteceu no Clube Sogipa em Porto Alegre, contou com a presença do presid...
WhatsApp Image 2024-02-20 at 11.34.45 AM

Crescimento da Prova AMB/AMRIGS é pauta em reunião com AMB e federadas brasileiras

Na noite do dia 19 de fevereiro, representantes da Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), da Associação Médica Brasileira (AMB) e das federadas dos estados do Ceará (CE), Pará (PA), Pernambuco (PE), Rio de Janeiro (RJ), Santa Catarina (SC) e Maranhão (MA) reuniram-se de forma híbrida pa...
plugins premium WordPress